demonstrativosfinanceiros

Os 5 principais componentes dos demonstrativos financeiros

Depois de abrir conta em uma corretora e transferir o dinheiro para esta conta você precisa escolher quais ações comprar. Para escolher as ações você precisa saber se a saúde financeira da empresa a qual você quer investir está bem ou não. Para isso é preciso olhar seus demonstrativos financeiros.

Para conseguir essas informações eu geralmente pego do site da companhia ou do site da Bovespa.

Neste artigo vou explicar sobre os 5 principais componentes a serem analisados nos demonstrativos financeiros de uma empresa. Estes componentes estão listados abaixo.

  1. Relatório da Administração;
  2. Demonstração do Resultado do Exercício;
  3. Balanço Patrimonial;
  4. Demonstrativo do Fluxo de Caixa;
  5. Relatório dos Auditores

Vamos explicar melhor cada um deles.

1. Relatório da Administração

relatorioadministracao

O Relatório da Administração dá uma visão geral sobre a companhia. Informa o que ela faz, quem são seus diretores e suas funções dentro dela. Lá é fornecida uma explicação sobre as operações e os acontecimentos do período em exercício. São muito mais palavras do que números.

Neste relatório deve conter acontecimentos importantes que ocorreram no ano. Aqui pode estar a explicação de alguma coisa que ocorreu dentro da empresa no ano que impeça a comparação com outros anos. É por causa desses acontecimentos que você vai saber se existe sentido a comparação com outros períodos contábeis.

Também deve constar aqui o nome dos diretores e suas participações na companhia. Pesquise na internet sobre os diretores da empresa. Saiba quem são eles e se estão envolvidos em atividades duvidosas. Se você é investidor de longo prazo isso pode evitar dor de cabeça.

2. Demonstração do Resultado do Exercício

dre

A DRE resume as operações da empresa no período de exercício em números. Nela está o quanto a empresa vendeu, quais foram os custos, os lucros e que impostos foram pagos. Informa ainda os tipos de despesas e a depreciação.

A principal função da DRE é prover informações sobre a performance e a lucratividade da companhia. A DRE de 1 ano sozinha não diz muita coisa, mas comparada com a de outros anos pode nos dizer muito a respeito do negócio. Comparando ano a ano podemos ver as margens de lucro e a consistência desses lucros durante os anos.

Ao analisar uma DRE devemos compreender que por trás daqueles números existe um negócio funcionando. Sendo assim devemos ter em mente as perguntas certas a se fazer. O negócio está crescendo? As receitas estão crescendo ao longo dos anos? O lucro está crescendo? As margens de lucro estão melhorando?

Resumindo, a DRE tem 3 componentes básicos: receitas, despesas e o lucro ou prejuízo que é calculado diminuindo as despesas das receitas.

3. Balanço Patrimonial

bp

O Balanço Patrimonial é uma fotografia de tudo o que a empresa possui no final do ano fiscal em questão. Aqui você fica sabendo o quanto em ativos a empresa possui e o quanto ela deve. Enquanto a DRE informa o quanto a companhia lucrou, o Balanço Patrimonial informa sobre a saúde financeira da companhia. Nos diz o quanto ela tem e o quanto ela deve.

O Balanço Patrimonial é dividido em 3 partes.

  • Ativos: são dinheiro em caixa, investimentos, contas a receber, estoques e ativos imobilizados.
  • Passivos: os passivos estão divididos em Passivo Circulante e Exigível a Longo Prazo. O primeiro é o dinheiro devido no prazo de até 1 ano incluindo contas a pagar, despesas provisionadas dívidas de curto prazo e dívidas de longo prazo a vencer. O segundo é o que é devido com vencimento em mais de 1 ano. Podem ser impostos, empréstimos bancários e debêntures.
  • Patrimônio Líquido: é a subtração do Ativo pelo Passivo, se for positivo a empresa tem mais do que deve se for negativo ela deve mais do que tem.

ATIVO – PASSIVO = PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O balanço pode nos responder perguntas importantes. Veja alguma delas.

Quanto do capital está preso em estoque? O nível de estoque está alinhado com as vendas ou há acúmulo de estoque? Um estoque alto pode significar problemas com as vendas.

As Contas a Receber  estão crescendo mais rápido que as vendas? Quanto o prazo de recebimento pelas vendas aumenta o caixa disponível diminui. Isso acaba ocasionando problemas para se investir em outra demandas do negócio e pode acarretar em mais dívidas.

Como está a alavancagem da companhia? Chamamos de alavancagem os empréstimos da companhia como percentual do Patrimônio Líquido. Se uma companhia está altamente alavancada seus lucros estão muito vulneráveis a mudanças na taxas de juros. Para uma empresa de um setor volátil como o de commodities a alavancagem deve ser menor que 1/3 do Patrimônio Líquido. Para uma empresa de um setor mais estável pode ser um pouco mais de 1/3 do Patrimônio Líquido.

Basicamente o Balanço Patrimonial é isso!

4. Demonstrativo do Fluxo de Caixa

dfc

A DFC nos diz a quantidade de dinheiro que entra (lucros, empréstimos, lançamento de ações) e sai (prejuízos, impostos, pagamento de empréstimos, dividendos) do caixa da companhia. É ela quem vai dizer se a empresa está recebendo mais do que está gastando.

A DFC é dividida em 3 seções:

  • Fluxo de caixa das atividade operacionais: isso é todo o fluxo que veio das atividade operacionais da empresa, basicamente o lucro/prejuízo líquido. Somado ao lucro líquido estão a depreciação e amortização. Embora do ponto de vista contábil sejam despesas, elas não consomem dinheiro pois representam o desgaste de maquinário e equipamentos.
  • Fluxo de caixa das atividades de investimentos: aqui estão as despesas com ativos fixos (valores pagos por máquinas ou imóveis) mais todo o dinheiro gasto e recebido pela compra e venda de ativos que geram receitas.
  • Fluxo de caixa das atividades de financiamento: aqui estão o pagamento de dividendos, dinheiro conseguido através de empréstimos, compra e venda de ações da companhia.

Verifique se a tendência de caixa é a mesma dos lucros. Se a DRE nos diz que o lucro está crescendo mas a DFC nos mostra um caixa diminuindo algo está errado.

É importante notar também que uma companhia boa tem sempre dinheiro em caixa vindo através de suas atividades operacionais. Cuidado se o caixa positivo for através de atividades de financiamento. Se isso acontecer a empresa pode estar bancando suas atividades com empréstimos.

5. Relatório dos Auditores

relatorioauditores

Ele informa se os números apresentados pela administração refletem a realidade do negócio da companhia e se está dentro dos requisitos legais. Se houver ressalvas neste relatório, cuidado.

Os auditores podem dizer que foram impossibilitados de verificar algumas informações da contabilidade. Se isso acontecer eles podem dizer que estão impossibilitados de formar uma opinião sobre a contabilidade.

Além disso, eles podem discordar do tratamento contábil de algum item, por exemplo se uma dívida tem ou não condições de ser paga. Ainda, eles podem julgar que a contabilidade da companhia não presta uma visão clara do estado dos negócios.

Procure por empresas que não tenham ressalvas de auditoria. Caso encontre alguma ressalva pense bem se quer mesmo investir seu dinheiro nesse negócio.

Conclusão

Para conhecer sobre uma empresa é preciso analisar os demonstrativos financeiros dela. Os 5 principais componentes dos demonstrativos financeiros são:

  1. Relatório da Administração: dá uma visão superficial da empresa, mais focada em palavras do que em números.
  2. Demonstração do Resultado do Exercício: nos  diz se a empresa teve lucro ou prejuizo, deve ser analisado a DRE de vários anos.
  3. Balanço Patrimonial: nos diz se a empresa está com mais bens ou mais dívidas.
  4. Demonstrativo do Fluxo de Caixa: nos diz o quanto de dinheiro que entra e sai d caixa da empresa.
  5. Relatório dos Auditores: nos diz o quão confiáveis são os números apresentados.

Resumindo, devemos analisar o Relatório da Administração para conhecer a o negócio da empresa e depois verificar no Relatório do Auditores se os números apresentados na DRE, Balanço Patrimonial e DFC são confiáveis. Se sim, a DRE junto com o Balanço Patrimonial e a DFC de vários períodos vão nos informar sobre a lucratividade, performance e saúde financeira da companhia. Se a empresa estiver passando por problemas são elas que vão dizer se a empresa vai aguentar o tranco.


Existem muitos outros detalhes a serem falados sobre a DRE, o Balanço Patrimonial e a DFC. Como o objetivo do artigo é uma explicação geral sobre esses componentes vou encerrar por aqui e deixar os detalhes para outros posts.

Se você gostou do artigo não deixe de comentar e curtir nas redes sociais!

Obrigado!

2 comentários em “Os 5 principais componentes dos demonstrativos financeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *